Fechar

Dualtec Cloud Blog

Receba os posts por e-mail:

Dualtec Cloud Blog

The #1 Cloud Builder

25 vantagens dos servidores virtuais

por: Fabio Belarmino em 31 de janeiro de 2012

A virtualização de servidores já deixou de ser uma tendência. É uma realidade que bate à porta das empresas, trazendo inúmeras vantagens a todos que buscam a economia de recursos e uma gestão de TI mais eficaz. Além disso, trata-se de uma tecnologia verde.

Para dar uma visão mais ampla da virtualização de servidores, identifiquei uma enorme lista de vantagens e algumas desvantagens, que podem ser compensadas pela utilização de um provedor cloud com reconhecida atuação no mercado.

Vantagens

1. Instalações simplificadas e economia de espaço físico.

2. Gerenciamento centralizado.

3. Compatibilidade total com as aplicações.

4. Maior disponibilidade e mais fácil recuperação em caso de desastres

5. Facilidade para a execução de backups.

6. Suporte e manutenção simplificados.

7. Acesso controlado a dados sensíveis e à propriedade intelectual mantendo-os seguros dentro do data center da empresa.

8. Independência de hardware.

9. Melhor aproveitamento do espaço físico: quanto menos dispositivos físicos instalados, maior o espaço disponível em racks.

10. A disponibilização de novos servidores fica reduzida a alguns minutos

11. Migração de servidores para novo hardware de forma transparente

12. Economia de energia elétrica utilizada em refrigeração e na alimentação dos servidores.

13. Segurança – usando máquinas virtuais (VM), pode-se definir qual é o melhor ambiente para executar cada serviço, com diferentes requerimentos de segurança, diversas ferramentas e o sistema operacional mais adequado para cada serviço. As máquinas virtuais podem ficar isoladas e independentes umas das outras, inclusive da máquina hospedeira. Usando uma máquina virtual para cada serviço, a vulnerabilidade de um serviço não prejudica os demais.

14. Confiança e disponibilidade – a falha de um software não prejudica os demais serviços.

15. A utilização de uma VM como ambiente de desenvolvimento possibilita testes em SO’s distintos e, por prover um ambiente isolado, evita que falhas na configuração e/ou execução, ou até mesmo vírus, danifiquem o hardware da máquina.

16. A redução de custos é possível utilizando pequenos servidores virtuais em um único servidor mais poderoso.

17. Adaptação às diferentes cargas de trabalho, que podem ser tratadas de forma simples. Normalmente, os softwares de virtualização realocam os recursos de hardware dinamicamente entre uma máquina virtual e outra.

18. Balanceamento de carga: toda a máquina virtual está encapsulada. Assim, torna-se fácil trocar a máquina virtual de plataforma e aumentar o seu desempenho.

19. Suporte a aplicações legadas: quando uma empresa decide migrar para um novo sistema operacional, é possível manter o sistema operacional antigo sendo executado em uma máquina virtual, o que reduz os custos com a migração. Vale ainda lembrar que a virtualização pode ser útil para aplicações que são executadas em hardware legado, que está sujeito a falhas e tem altos custos de manutenção. Com a virtualização desse hardware, é possível executar essas aplicações em hardwares mais novos, com custo de manutenção mais baixo e de maior confiabilidade.

20. Redução de custos de pessoal, energia e refrigeração pelo uso de menos equipamentos físicos.

21. Melhor aproveitamento do hardware – com o compartilhamento do  hardware pelas máquinas virtuais reduz-se a ociosidade do equipamento.

22. Com as máquinas virtuais é possível simular redes inteiras, inclusive redes heterogêneas.

23. Pode-se utilizar sistemas operacionais que não possuam compatibilidade com o hardware, utilizando os recursos de virtualização de hardware. Isto possibilita testes e até mesmo economia com a compra de hardware.

24. Redução do downtime.

25. Facilidade de migração de ambientes – evita reinstalação e reconfiguração dos sistemas a serem migrados.

Desvantagens

1. Gerenciamento – os ambientes virtuais necessitam ser instanciados (criar instâncias nas máquinas virtuais), monitorados, configurados e salvos. Existem produtos que fornecem essas soluções, mas esse é o campo no qual estão os maiores investimentos na área de virtualização.

2. Dificuldade no acesso direto a hardware, por exemplo, placas específicas ou dispositivos de USB.

3. Desempenho – atualmente, não existem métodos consolidados para medir o desempenho de ambientes virtualizados. Para compensar, introduz-se uma camada extra de software entre o sistema operacional e o hardware, o VMM ou hypervisor, que gera um custo de processamento superior ao que se teria sem a virtualização. Outro ponto importante de ressaltar é que não se sabe exatamente quantas máquinas virtuais podem ser executadas por processador, sem que haja o prejuízo da qualidade de serviço.

4. Grande consumo de memória RAM dado que cada máquina virtual vai ocupar uma área separada da mesma.

5. Grande uso de espaço em disco, já que é preciso de todos os arquivos para cada sistema operacional instalado em cada máquina virtual.

Como você pode concluir, a virtualização tem mais vantagens do que desvantagens, pois acaba resolvendo e facilitando muitas operações. Porém é necessário avaliar todos os aspectos envolvidos na virtualização para evitar crises. Por exemplo, a vulnerabilidade ou queima de um host físico deixará todas as máquinas virtuais vulneráveis ou indisponíveis, o que requer planos de recuperação de desastres. Deve-se analisar também se as máquinas virtuais terão o desempenho necessário para as operações críticas.

  • http://www.facebook.com/jefferson.hilgert Jefferson Hilgert

    Vou só comentar o comentário do Vanderlei, observando dois cenários:

    1. Máquina A contendo um sistema operacional
    2. Máquinas virtuais B,C, D, F e G dentro de uma máquina H

    (3.) Compatibilidade total com as aplicações.

    >Isto é uma vantagem? Vai ter mais compatibilidade que em uma
    máquina real?

    Imagine uma aplicação de BI, que sabe-se que roda bem no sistema operacional XY. Então o cara pega uma VM pronta com o BI e põe pra rodar. É mais compatível com o SO que se fosse instalar.

    (7.) Acesso controlado a dados sensíveis e à propriedade intelectual
    mantendo-os seguros dentro do data center da empresa.

    >Isto é uma vantagem? Não tem como fazer isto em uma máquina
    real?

    >> Se você tiver 5 máquinas, poderá distribuir senhas de root destas 5 para pessoas diferentes. Estas pessoas podem NÃO TER ACESSO a outras máquinas.

    (1. e 9.) O autor acabou escrevendo espaço físico no ítem 1, mas seria instalação simplificada.

    (8. e 11.) Não entendi “independência de hardware”. Mas com certeza fica mais fácil ficar migrando as máquinas.

    (6.) Suporte e manutenção simplificados.

    >Questionável, já que uma manutenção de hardware teria de parar todos os sistemas.

    Ao meu ver, a manutenção de hardware praticamente NÃO EXISTE. São raras estas manutenções. Se ocorrerem mais de uma vez por ano, devem haver problemas de baixa qualidade do ambiente/hardware ou estimativa ruím do crescimento das aplicações.

    (13.) Segurança…

    > Isto é uma vantagem? Basta ter várias máquinas reais.
    Agora imagina que você está instalando o livezilla (aplicação de chat) e o livezilla começa a “fazer muitas requisições para o mysql” e está atrapalhando o servidor? Você compraria novo hardware para o Livezilla? Faria cotações, arrumaria espaço nos servidores, pediria aprovação da diretoria e etc? Não. Muito mais fácil isolar a “aplicação mal comportada” numa VM.

    20. Redução de custos de pessoal, energia e refrigeração pelo uso de menos equipamentos físicos.

    Com certeza existe redução de pessoal. Na hora de instalar uma máquina, não tem todas aquelas horas fazendo configurações. Você pega uma VM pronta pra fazer aquele trabalho. Você compra esta VM do teu fornecedor e ele pega de “outra empresa” que a VM já faz um bom trabalho e fica mais fácil do que instalar do zero.

    Os pontos DESEMPENHO, MEMÓRIA E DISCO são relevantes sim, pois é onde ocorre a PERDA.

    O artigo é muito útil, mas um artigo completo do assunto levaria muitas horas pra ser feito e simplesmente não ficaria bom. Pra ficar bom, teria que ser muito comentado, discutido me outra pessoa ia pegar a lista e melhorar e tals.

    Parabéns ao autor e o vanderlei pelo comentário.

  • http://www.facebook.com/brunoscorreia Bruno Correia

    Quanto a questão da manutenção, maioria dos baremetal hypervisors permitem o balanceamento de carga, dessa forma ao ser necessário parar um dos servidores dentro do parque para manutenção de seu hardware, em geral essas vms são repassadas para outros servidores, isso normalmente é transparente ao usuário e o impacto, caso exista, seria com as vms menos “responsivas” devido a maior carga sobre os demais servidores.

Acompanhe

Acompanhe a Dualtec Builders

Siga a Dualtec Cloud Solutions no Twitter!

Curta a Dualtec Cloud Solutions no Facebook!

Feed RSS

Receba os posts por e-mail

Newsletter

Autores

AlanAlan Yukio Oka

alan@dualtec.com.br

EduardoEduardo Popovici

esantana@dualtec.com.br

FabianaFabiana Francisco

fabiana@dualtec.com.br

FabioFabio Belarmino

fabio@dualtec.com.br

FernandoFernando C. Barbi

engenharia@dualtec.com.br

LauroLauro de Lauro

lauro@dualtec.com.br

Luiz EduardoLuiz Eduardo Alves Severino

leduardo@dualtec.com.br

Marcelo SimonkaMarcelo Simonka

msimonka@dualtec.com.br

Paulo_BarbosaPaulo Barbosa

pbarbosa@dualtec.com.br

RenatoRenato Serra Armani

renato@dualtec.com.br

Renato de SouzaRenato de Souza

resouza@dualtec.com.br

RicardoRicardo Fernandes

ricardo@dualtec.com.br

TullioTullio Christianini

tullio@dualtec.com.br

Infraestrutura:

  1. Infraestrutura

Av. Washington Luís, 5644 - Sto. Amaro, São Paulo - SP - 04626-001 - 55 11 5033-5900

9807 NW 80th Avenue - Unit 11J - Miami - FL - 33016 - 1 305 433-4647

© Dualtec Informática Ltda. Todos os Direitos Reservados Este Sítio Web é acessível via IPv6!